Como investir na bolsa de valores: guia para inciantes - Portal Economia

Como investir na bolsa de valores: guia para inciantes

investir na bolsa de valores Economia e vida

Investir em ações na bolsa de valores tem se tornado uma prática cada vez mais comum para os brasileiros.

Cada vez mais pessoas estão buscando novos meios de alocar dinheiro em investimentos que ofereçam retornos maiores que os investimentos conservadores.

Essa mudança deve-se em grande parte aos youtubers. Eles descobriram que educação financeira e investimentos são conteúdos atrativos para muitas pessoas e, por isso, passaram a abordar estes temas com uma linguagem mais simples.

Os youtubers ajudaram a desmistificar a ideia de que investir na bolsa é difícil e, dessa forma, ajudaram muitos a venceram o medo e começaram a investir em renda variável.

Investir na bolsa é uma prática que vem se popularizando, e antigos modelos de investimentos estão sendo deixados para trás.

Sendo assim, preparamos um guia de como investir na bolsa de valores comprando ações e cotas.

Quem pode investir na bolsa de valores?

Qualquer pessoa física pode investir na bolsa de valores e comprando ações ou cotas. Não existe nenhum tipo de restrição quanto a faixa de renda, situação empregatícia ou experiência para isso.

As pessoas costumam pensar que investir é coisa de gente rica, ou que existam muitas restrições. Isso não é verdade!

Outro mito bastante comum entre as pessoas é que investir é difícil. Muitos acreditam que o mercado é um monte de gráficos e números. Mas não é assim que funciona o mercado financeiro.

Existem vários formas de se investir, algumas mais complexas, outras mais simples, porém, nem de longe é um “bicho de sete cabeças”.

Quanto preciso para começar a investir no mercado financeiro?

Não existe um valor mínimo para começar a investir. Tudo depende dos papéis que você deseja adquirir. Existem papéis com os mais diversos preços, até mesmo menor que R$ 1,00.

No entanto, nem todo investimento está acessível a toda pessoa física. Existem investimentos restritos aos chamados “Investidores qualificados”. Estes são investidores que possuem mais de R$ 1 milhão investidos em papéis.

Do que eu preciso para começar a investir?

Necessariamente você precisa abrir conta em uma corretora. Atualmente existem diversas corretoras, inclusive, várias delas não cobram nenhuma taxa de corretagem sobre os investimentos realizados.

Dessa forma, abrir uma conta em uma corretora é muito simples e pode ser feita totalmente on-line. Além disso, o tempo para que a conta esteja disponível para uso é de apenas alguns dias.

Após abrir a conta, você deverá depositar nela os fundos que deseja usar para investir. Logo que estiverem disponíveis na conta, você será capaz de começar a operar na bolsa de valores.

Portanto, começar a investir em ações da bolsa de valores é acessível e fácil.

Quais conhecimentos são necessários para começar e saber como investir?

Começar a investir em ações na bolsa de valores não exige extremo conhecimento técnico contábil, estatístico ou matemático, no entanto, é importante entender de tudo um pouco.

Sendo assim, é importante aprender o que é e como analisar valuation das empresas. Esses múltiplos são cruciais para entender a saúde financeira dos negócios que deseja investir.

Além disso, vale a pena também aprender analisar balanços patrimoniais e demonstrações de resultados.

Mas não é necessário se aprofundar em termos técnicos, basta compreender de forma geral os resultados dos negócios.

Ademais, é importante estar informado sobre a macroeconomia e acompanhar as notícias dos setores em que seus investimentos estão inseridos.

Isso o ajudará a atrelar as análises dos números com o cenário dos investimentos e então tomar decisões.

E se estou inseguro quanto a meu conhecimento para investir?

Se por algum motivo você está inseguro quanto ao seu conhecimento em investir, existem outras opções. Nesse caso, uma opção é investir em “Fundos de Investimentos”.

Esses fundos são administrados por pessoas mais experientes que alocam os investimentos de acordo com o risco que o cotista deseja assumir.

Em contrapartida, os fundos de investimentos cobram uma taxa de administração dos cotistas para isso.

Posso perder muito dinheiro no mercado financeiro?

Ao começar a investir na bolsa de valores comprando ações ou cotas é importante que você avalie sua disposição em se expor a eventuais riscos.

Isso porque, assim como é possível ganhar muito, perdas são um risco inevitável. Assim, tudo depende do risco que você desejar assumir.

Há muitas formas de conseguir reduzir os riscos nos investimentos de modo que obtenha ganhos quase certos. No entanto, estes são investimentos de baixo risco, isto é, não costumam dar muito dinheiro.

Já se você deseja ganhar valores substanciais, saiba que isso exige uma alta exposição a riscos. Nesse caso, as perdas podem ser tão grandes quanto a oportunidade de ganhos.

Os riscos podem ser reduzidos através da diversificação dos investimentos. Isso pode ser através da compra de papéis de setores diferentes a investimentos no exterior.

Pago impostos ao Investir na bolsa de valores?

Em alguns casos você pagará impostos. Os casos são quando você tem lucros com as vendas de ações em valores maiores que R$ 20 mil, ou obtenha lucro da venda de cotas.

Além disso, algumas empresas pagam juros sobre capital próprio (JCP) ao invés de dividendos. Nesse caso, o valor sofre incidência de imposto de renda.

No entanto, quanto aos dividendos, quando são distribuídos estão isentos de qualquer imposto. Tudo depende da política de distribuição dos lucros das empresas.

Tipos de investimentos

  1. LCs e CDBs  LCs (Letras de Câmbio) e CDBs (Certificado de Depósito Bancário) são investimentos de renda fixa que apresentam baixíssimos riscos e conta com garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Este é um investimento de Renda Fixa.
  2. Tesouro Direto : São ativos da dívida soberana do Brasil, aos quais são garantidos pelo governo federal. Este é um investimento de Renda Fixa.
  3. FIIs : Fundo de investimento Imobiliário é uma reunião de diversos investidores em algum ativo imobiliário, portanto são investimentos coletivos, por não apresentar garantia FGC, sua segurança está condicionada a administradora do fundo. Este é um investimento de Renda Variável.
  4. Ações : São frações de empresas Sociedade Anônima, com capital aberto em bolsa de valores aos quais estão disponíveis para compra e venda mediados por uma corretora. Este é um investimento de Renda Variável.
  5. Criptomoedas : São moedas digitais, disponíveis e criptografadas sob tecnologia de blockchain . Este é um investimento de Renda Variável.

Quais investimentos devo fazer?

Essa é uma indagação que muitos se fazem quando pensam em investir na bolsa de valores.

Por isso, a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) criou 3 perfis de investidores, considerando os seus objetivos, capacidade de investimento, conhecimento e propensão aos riscos, são eles:

Conservador

É aquele que prefere não correr riscos na valorização do dinheiro que decidir aplicar.

Ele pode ter planos definidos para o uso de seus recursos. São planos como: comprar sua casa própria, ou apenas escolher esse tipo de investimento pela segurança.

Nesse caso, os investimentos recomendados são: LCs, CDBs e / ou Tesouro Direto.

Moderado

É aquele que aplica uma parte dos seus recursos em investimentos com menor liquidez. Esse investidor entende que os rendimentos financeiros são a médio e longo prazo. Por isso, investem de acordo com o grau de risco médio em suas variações.

Normalmente, como parte de sua estratégia, também aplica outro montante em investimentos conservadores. Dessa forma, ele garante liquidez para um resgate rápido e uma boa diversificação.

Investimento recomendados para o perfil moderado: LCs, CDBs, Tesouro Direto e / ou FIIs.

Arrojado

É aquele investidor que aceita com tranquilidade os riscos de variação em sua escolha ou até mesmo mudanças em seu boletim de investimento de capital.

Isso porque ele acredita que a longo prazo todas as movimentações trarão resultados positivos ou, pelo menos, de reequilíbrio.

Ou seja, o investidor arrojado compreende que as variações fazem parte daquele tipo de investimento.

Por isso, ele segue uma estratégia para trazer segurança a sua situação financeira, como também diversificar suas aplicações equilibrando com as moderadas e as conservadoras.

O investidor arrojado também não recebe do dinheiro gasto imediatamente e pode aguardar o melhor momento para resgatá-lo de acordo com os ganhos.

Investimento recomendado: Tesouro Direto, FIIs, ações e / ou Criptomoedas.

Nota do autor: existem vários outros tipos de investimento, entretanto esses são os mais divulgados.

Antes de fazer seus investimentos, pesquise uma corretora (elas geralmente têm taxas mais atrativas que bancos), existem corretoras com isenção de taxas de corretagem.

Defina seu perfil, trace um objeto, abra a conta em alguma corretora, e faça seus aportes.

O importante é que você precisa a investir!

Conclusão

Começar a investir em ações na bolsa de valores é uma alternativa para quem deseja realizar investimentos mais rentáveis. Como vimos, não é difícil começar a investir.

Basta você analisar antes de tudo os seus objetivos com relação aos investimentos e quais riscos deseja assumir.

Após isso, estará pronto para decidir se está ou não disposto a entrar no mundo da renda variável.

Bons investimentos

Classifique o artigo
Compartilhe com seus amigos
Portal Economia
Inscrever-se
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Milton dos Santos Costa
Milton dos Santos Costa
5 dias atrás

Muito bom e elucidativo artigo…